Seguidores

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

REFLEXO



ALBERTO AFONSO LANDA CAMARGO

REFLETIDO NO ESPELHO
O ROSTO ENRUGADO
FEZ-SE CRIANÇA,
VOLTOU NO TEMPO...

 CORREU NA RUA EMPOEIRADA,
BANHOU-SE NA SANGA,
BEBEU ÁGUA NA CACIMBA
SENTINDO O DOCE DO TEMPO
NO CAMPO ABERTO DA SAUDADE...

O ROSTO ENRUGADO
REFLETIDO NO ESPELHO
SENTIU AS MÃOS
QUE O TEMPO ENVELHECEU...

2 comentários:

  1. Bom dia, Alberto. O tempo envelhece, sentimos as marcas em nosso corpo, mas a nossa alma ainda que mais madura, pode ser livre tal qual uma criança que brinca, salta e corre.
    Cada época tem o seu frecor e devemos aproveitar o máximo cada uma delas, que tem sua própria beleza. Entendo muito bem isso, rs.
    Beijos na alma e fique na paz!

    ResponderExcluir
  2. Entendimento e poesia.
    Alberto querido, te ler em cada poema é uma bela emoção.

    ResponderExcluir