Seguidores

domingo, 15 de novembro de 2009

SUPREMO DESEJO




Alberto Afonso Landa Camargo

Cheguei...
E superficial
Não vivi a intensidade
Dos amores que tive...

Passei...
E desperdicei meu tempo
Nas futilidades de quem pensava
Ser eterno cada instante...

Vivi...
Como quem não ama
E despista o amor
No seu verdadeiro explodir...

Mas quando eu morrer
Quero levar cada instante vivido,
Deleitar-me na intensidade
De cada momento que desprezei...

Se for tarde demais,
Basta que me consolem as lembranças
Como canções de ninar
Embalando o meu sono...

Nenhum comentário:

Postar um comentário